Quem nos quer

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Não tenho criatividade para títulos, ou ensaio sobre o que me faz chorar..

Costumo dizer, e é claro que essa frase não é minha, devo ter roubado de alguém que leu um livro de auto-ajuda barato por que eu não costumo ler livros de auto-ajuda, nem caros nem baratos, que a felicidade é feita de momentos. É impossível estar feliz o tempo inteiro assim como, graças a Deus, a tristeza também é coisa finita e esporádica...
Meus momentos felizes têm sido o meu trabalho. Às vezes me agarro com a Santa Rita e peço "dá paciência minha santinha, muita paciência, dá força não, senão eu mato um...".
Mas adoro fazer o que faço.
Grande parte dos sorrisos que me acometem são causados por um certo poeta que ri fazendo barulho e eu acho isso mais lindo que irritante.
Tenho amigos maravilhosos, pessoas que me dizem "pode contar comigo, viu" e eu digo com toda certeza, "eu sei".
Meu filho é minha luz, tudo nele me dá uma razão para ser uma pessoa melhor a cada dia. Estar longe dele me dilacera. Mesmo assim...
Tive muitos momentos felizes na casa de minha mãe. Os churrascos de domingo, as farras dos sábados à noite. Pizza e Camarão nos tempos bons; Moqueca de ovo com chuchu, nos não tão bons assim....
Mamãe e eu sempre fomos geniosas, orgulhosas, cabeças duras, intempestivas.... Duas pessoas assim não podem dividir o mesmo teto, correm o risco de explodir a casa.
Nós duas temos nossa parcela de culpa. Nenhuma das duas cedeu quando era prudente ceder e isso nos causou mágoas que nos acompanharão até o fim.
Mamãe e eu somos apaixonadas uma pela outra, somos capazes de esganar quem ouse ofender uma de nós ou um dos nossos. Aprendi a ser uma mãe leoa com o jeito dela de lamber sua cria e proteger com unhas e dentes.
Mesmo assim, ainda resta aquela sensação de que tudo irá pelos ares mais dia menos dia.
Mamãe e eu não podemos viver juntas. E é por isso que estou deixando a casa dela pela 4° vez e espero profundamente (e ela também espera) que dessa vez, definitivamente....
O que me faz chorar é a iminência de estar longe meu pequeno Chicão. A realidade é que na bagunça das minhas decisões mal tomadas o fato de trabalhar e, futuramente,  estudar não me dará o direito de criar meu menino. Ele terá de viver com o pai até que eu tenha estrutura, sobretudo financeira, para tê-lo comigo.
O que me faz chorar é achar que estou sendo egoísta. Mamãe não me expulsou de casa e cá estou eu chutando o balde e passando por cima de tudo.
O fato é que não existem mais momentos felizes para mim naquela casa e assim eu não consigo viver. Poderia simplesmente me envolver num casulo e me deixar levar pela maré. Estagnar e aceitar minha condição. Ficaria com meu filho, mas me tornaria amarga e infeliz e então a história se repetiria.
Daqui há alguns anos eu estaria gritando e acusando ele de ser culpado por todas frustrações que tive para ser mãe dele.
Não sei o que é certo. As decisões já foram tomadas. Não sei se serei mais feliz ou infeliz. Não sei nada. Seja o Deus quiser...
Amém


Bia/Ana/Luisa Blue

8 comentários:

Augusto Dias disse...

Estar certa daquilo que quer,
estar certa do que pode causar,
estar forte para o que vai sofrer,
e a certeza de que quando quiser sorrir ou chorar, estarei com você
é o que você precisa.
Estou aqui meu bem.

Luciana disse...

Sabia que vc me fez chorar?
Ai...ser adulto é muito louco.Ser adulto que tem o dever de educar um ser pra que se torne uma pessoa de bem então...
Essas responsabilidades da vida sempre me acabam.
Ter que decidir uma coisa tão importante assim é fôda.Mas agradeça a Deus q Chicão tem um pai legal em que pode contar.
Amar as vezes é abrir mão pro melhor do seu amor.

Fique com Deus,fique bem.

Sylvio de Alencar. disse...

aos 18 levei um pé na bunda de mi papá, e fui parar numa pensão.
Passei mal..., com direito a uma esfiha por dia.

Certos acontecimentos nos acometem irrerversívelmente.
Vc não está indo para a morte, para um cadafalso. Nem está condenamdo ninguém a este triste fim.
Estar separada de um filho não será a morte para nenhuma das partes. Vc, sendo a parte mais adulta, deveria dar a real dimensão do fato que está por vir. Na verdade, vc está triste, meio sem chão. É foda... Mas tudo continuará, e seu filho estará bem (que é o que importa).
Continue na luta, na vida: que é rica e cheia de mudanças como vc bem disse.

Fique com Deus.

Bjs.

Ferdi disse...

Que texto mais bonitinho, apesar das tristezas.
Como você mesmo disse, são finitas e isso basta pra nós.

Drêycka disse...

OLHA EU AKI!! uhuuulll
Lindo seu lugar aqui! :D

Bjssss

Drêycka disse...

OLHA EU AKI!! uhuuulll
Lindo seu lugar aqui! :D

Bjssss

Caroline. disse...

Uiii que texto sad "/
But, verdadeiro. é complicado ser adulto as vezes mais faz parte né? Todo mundo tem que passar por essa fase. É tenso...
Beijos =*

Bia Monteiro disse...

Amém...
O q tiver de ser, será, neh...
Bom fds pra ti Xará...
Bjitos
=)