Quem nos quer

segunda-feira, 1 de março de 2010

Me arranca de mim

você me beija
me puxa os cabelos
roça a barba em minha nuca

Você me aperta o corpo
me morde nos seios
me bate e me arranha
me arranca de mim

Você me olha
me sangra
me aperta a garganta
me mata
e vive de mim....


Todas em mim

9 comentários:

Augusto Dias disse...

Corei!
Vivo Sim
preciso

Ferdi disse...

Não gosto de amores brutos.

Uriálisson disse...

caramba,uma possessão

Alan Félix disse...

selvagem, adoro coisas desse tipo.

=D

Felipe "Miro" 'Dreads' disse...

Até que enfim um poema que foge dessa linha chata de amor platônico... finalmente... o prazer físico... heheh



Beejo

Luciana disse...

Ui...me lembrei de sábado...ai diliça KKKKKKKKKKKKKK(Piada interna,e bota INTEEEEEEEERNA nisso hahahaha)

Deni Maciel disse...

apaixonante..

um abraço.
nosso axé ficou pronto [eita lasqueira]
e feliz dia da meteorologia que acaba com a gnt...

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

As vezes nem é tão bruto assim Ferdi, o sensível também pode causar tudo isso!

Abraços!

A.S. disse...

Belo! Intenso! Sensual!...

As palavras são doces caricias deslizando entre o desejo e a fúria!


Beijos...
AL