Quem nos quer

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Nada em dialetos estranhos...

Acordei de um pesadelo certa noite, lembrei de você, faz tanto tempo. De tempos em tempos é assim, se passa aquele filme na sessão da tarde, se vejo algum conhecido daquela época, se passo por um lugar que freqüentei com você. Nostaugia... a gente também precisa disso pra viver, sabia?
Às vezes a saudade é boa, às vezes não, é como um arrependimento, aquela pulga atrás da orelha "e se tivesse sido diferente?", mas passa logo. Meu amor não tem mais esperanças e em geral não dói.
Doeu quando você casou, Nounusse que o diga, agarrei ele a noite inteira, daí numa hora que tive raiva de você joguei ele pela janela. Era três da manhã, tive que pular o muro do vizinho pra pegar o Nounusse de volta.
Mas não tenho raiva não, te tenho uma carinho grande, o mesmo que tenho por um grande amigo, o mesmo desejo de que você seja feliz. Ontem eu te vi, você estava feliz. Isso me alegrou.
Às vezes cansa, dá saudade e medo...
tenho medo de nunca mais amar alguém assim que nem amei você, de nunca mais ninguém me querer assim que nem você me quis.
Tenho saudade das risadas, das conversas sem nexo, das piadas internas que só a gente entendia. Tenho saudade daquele querer bem, daquele interesse no que eu pensava e dizia (e eu dizia tanta bobagem e você levava tudo a sério e às vezes até ficava zangado por que achava que eu era fria demais, e eu sorria e te chamava de bobo e te agarrava e te beijava a força e você ria e eu ria também).
O que me cansa é essa minha mania de achar que não preciso de uma vida de comercial de margarina para ser feliz. A vida que você me oferecia e eu recusei nem sei bem por que.
Arrependi não.. eu acho.. só acho que nunca soube bem o quero (sei do que não quero e sempre me bastou).  Sei que aquela minha busca por liberdade continua mas agora menos frenética... talvez eu não queira tanta liberdade assim.. talvez...


forever Habib

6 comentários:

Marcelo Mayer disse...

não queria pq todos nós nos prendemos a ela

Luciana disse...

Eita que esse "negócio" de dúvida se era isso mesmo que vc queria,de não saber se era o que não queria é que mata né?
É fôda!Qnd temos uma hostória forte assim,cheia de intimidades...esquecer a gente não esquece nunca mesmo.E praque esquecer mesmo?Coisa boas não devem ser esquecidas.

Lah disse...

oi claro que pode flor
me avise para mim ler :p

beijos

Bia Monteiro disse...

Aiuaiauaiauaiuai...
Doroooo Xará
Bjkass
=D

Dil Santos disse...

Bia querida, como está?
Esquecer pra quê? A gente lembrar dos momentos bons, faz um bem enorme pra gente.
Estou aproveitando e que todos nós sejamos felizes.

Bjo
:)

Ferdi disse...

Meu amor não tem mais esperanças e em geral não dói.

O paradoxal é que me identifiquei quase chorei ao ler isso.